Facebook

quarta-feira, 26 de abril de 2017

quarta-feira, 12 de abril de 2017

segunda-feira, 10 de abril de 2017

"O crime da aldeia velha."

Tal como em todas as terras também em Soalhães existem  algumas lendas, aqui vos deixo uma que é bem  real e chegou mesmo ao cinema e que viria a dar origem ao estigma imposto ao naturais de Soalhães de serem  da terra de "mata e queima".

Fica aqui o link para um excerto do filme crime da aldeia velha, de Manuel Guimarães, produção de António da Cunha Telles, 1964.

https://www.youtube.com/watch?v=I_yb-3fc2jI&t=26s





♰♰♰♰♰


"...Em 25 de Fevereiro de 1933, entre as 22 e as 23h, o pacato lugar de Oliveira na freguesia de Soalhães, concelho de Marco de Canaveses, foi abalado por um acontecimento insólito, que é bem revelador do obscurantismo reinante no nosso país na década de trinta e quiçá ainda hoje, ainda que sob formas mais sofisticadas. 
Uma mulher, Arminda de Jesus, domestica, casada com Joaquim Pereira Alves (ausente no Brasil à data do crime), mãe de dois filhos menores, foi espancada e queimada viva, acusada de estar possuída pelo demónio. A vítima, fora visitar uma amiga, Joaquina de Jesus Couto, também chamada Joaquina, a doida, que sofria de ataques de histeria, mas que se julgava estar possuída pelo demónio. Ao chegar a casa desta, encontrou um grupo de mulheres e homens, entre os quais Anastácio Pereira, seu cunhado, que lia um livro que se apurou mais tarde tratar-se de um exemplar do Livra de S. Cipriano, da editora Lello e Irmão, do Porto. Tendo Arminda caído ao chão, possivelmente com um ataque epiléptico, pois andava há tempos adoentada de mal desconhecido, a louca mandou-a pôr fora de casa, gritando que ela estava excomungada e ordenando que lhe batessem. O Anastácio, que interrompera a leitura do livro, surgiu com um crucifixo e um pau, açoitando a vítima até esta proferir as palavras 'Ai meu Deus'. Sendo a Arminda reconduzida para o interior da residência, a louca Joaquina exigiu que a expulsassem novamente e a matassem, porque ela ainda trazia o diabo no corpo. Então, os presentes, todos amigos da vítima e alguns até seus familiares, arrastaram-na para o exterior, levando-a para um barracão, onde foi agredida à paulada e depois queimada, tendo intervindo no crime o citado Anastácio Pereira, António de Queiroz Correia, marido da Joaquina, o filho de ambos, Manuel, de 14 anos, e os seus irmãos Manuel de Queiroz Correia e Francisco de Queiroz Correia. A versão dos acontecimentos não é idêntica nos diversos depoimentos prestados no tribunal pelos criminosos, mas condiz no essencial, podendo concluir-se que os autores de tão macabro caso estavam convencidos de que a morta ressuscitaria. O padre Joaquim Monteiro, pároco de Soalhães, declarou aos juízes que já anos antes apreendera a Anastácio Pereira um exemplar do Livro de S. Cipriano, e que a freguesia,

quinta-feira, 6 de abril de 2017

terça-feira, 4 de abril de 2017

Fim de semana de plantações.



Aproveitando o fim de semana de bom tempo , começamos as nossas plantações com a ajuda da minhas 2 filhas.

Cebola,pimentos(verdes,vermelhos e amarelos),courgettes, pepinos, couve coração, couve frisada,couve flor,broculos e alface.

A horta começa a compor-se!!!