Facebook

domingo, 10 de maio de 2015

Cerejeira: Ano IV


Finalmente e ao 4º ano tem bastantes frutos a nascer, vamos la ver se vingam todos!



quarta-feira, 6 de maio de 2015

Composto para sementeiras

Muito se tem dito e muito se lê por esses blogues de hortelões sobre a qualidade dos substratos usados na germinação de sementes. É certo que a capacidade de fazer germinar depende muito do tipo de características de cada  composto bem com varia , dentro das mesmas características, de marca para marca.

No ano passado aconteceu-me algo que na altura não prestei grande atenção mas que este ano ao utilizar um saco do mesmo composto  do ano anterior fez-me pensar um pouco sobre o assunto.
O tempo de germinação de algumas sementes era muito elevado, por exemplo o tomate só ao fim de + de 15 dias germinava e o desenvolvimento da planta era muito lento.Ora se no ano passado por cá quase não tivemos primavera e quase sempre choveu, facto que me fez não ligar muito ao que descrevo acima o que é facto é que este ano ate temos tido uma primavera razoável , com muito sol e ....o atraso que notei o ano passado acho que ainda foi pior !Ou seja muito tempo para germinar e depois a planta não desenvolve.
O substrato em questão é este:(http://www.siro.pt/p.artigo.g/artid/1307)


A seguinte imagem mostra o estado dos tomateiros com +- mês e meio:

O substrato acabou e comprei um que já tinha utilizado em anos anteriores:
Entretanto como coloco 3 ou 4 sementes por copo resolvi fazer a repicagem destes utilizando o novo substrato e o resultado é este ao fim de 3 semanas:





Como conclusão ficam as seguintes perguntas no ar:
-Porquê, sendo ambos os substratos para germinação apresentam resultados diferentes,apesar do pior deles ser da linha profissional ?
- O composto tem período de validade?
-As características do composto alteram-se com o passar do tempo?Visto 1º ter apresentado resultados ainda mais fracos no ano seguinte?

Andamos sempre a aprender...experimentando!

domingo, 3 de maio de 2015

Actualização: Galinhas

A adaptarem-se á nova  casa , ainda em remodelações!



Na foto com +- 1 mês.

sábado, 25 de abril de 2015

quinta-feira, 19 de março de 2015

Pintos

No passado fim de semana nasceram os pintos cujos ovos estavam a chocar .De 27 ovos nasceram 17 pintos, 9 Pedrês Portuguesa e 8 Preta Lusitana.
É +-62% de nascimentos o que não é muito mau tendo em conta que os ovos vieram por correio e também devido á chocadeira, feita de modo artesanal que demonstra necessitar de algumas alterações a fim de melhorar o desempenho.
Contudo fico satisfeito pois vai , se tudo correr bem , possibilitar fazer a criação de duas raças de galinhas de qualidade e evitar a compra de pintos "industriais" que muitas vezes vem com problemas, são caros e de qualidade duvidosa.
Ja iniciei a alteração do capoeiro a fim de criar condições para manter as duas raças devidamente separadas e evitar o cruzamento entre elas.Em breve postarei aqui fotos .



Raça Preta Lusitana:

A galinha Preta Lusitânica é muito estimada e apreciada pela qualidade e delicadeza da sua carne, pela sua notável aptidão como poedeira e chocadeira e pela sobriedade e elegância da sua plumagem negra. 

Constitui uma raça antiga que sempre esteve ligada a práticas de bruxaria, ocultismo e à protecção contra o mau-olhado. Ainda hoje é prática corrente e actual que animais desta raça sejam usados para afugentar os maus espíritos quando se habita uma casa pela primeira e até nos campos de futebol para tentar receber a bênção dos deuses pagãos e assim ganhar a partida. Em S. Bartolomeu do Mar, no “banho dos santos”, as crianças levam ao colo uma galinha preta para que o medo passe em definitivo para a galinha.

Raça Pedrês Portuguesa:

Genuinamente portuguesa, esta raça de galinhas conquistou, desde sempre, a admiração das gentes da região do Norte de Portugal, não somente pela graciosidade da sua plumagem como também pela sua vitalidade, rusticidade e resistência a doenças e factores ambientais adversos. Prova disso, são alguns provérbios antigos que o povo utiliza para exaltar a qualidade destas aves, como “Galinha Pedrês vale por três” ou “Galinha Pedrês, não a mates nem a dês”. 

Esta raça está distribuída por todo o Portugal continental, considerando-se o seu solar a região do Minho e alguns concelhos limítrofes do Douro Litoral e de Trás-os-Montes. 

ORIGEM E HISTÓRIA
A galinha Pedrês Portuguesa esteve desde sempre associada ao aproveitamento de recursos excedentários das pequenas explorações minifundiárias do Minho e Trás-os-Montes, contribuindo desta forma para colmatar os poucos rendimentos que desde sempre estiveram associados a uma agricultura de subsistência. Actualmente, a Galinha Pedrês Portuguesa é vítima da absorção genética por inúmeras raças exóticas de maior rendimento creatopoiético. 

Segundo alguns estudos efectuados sobre as origens das galinhas domésticas existe unanimidade em afirmar que estas derivam da domesticação do galo selvagem asiático (Gallus gallus).

Fonte : AMIBA

terça-feira, 3 de março de 2015

Ovos


Mais um "choco" com a minha chocadeira "home-made". Desta vez sao duas duzias de ovos das raças: Pedrez Portuguesa e Preta Lusitana.
Daqui a uns dias ja veremos o resultado.
Escolhi estas duas raças por serem Portuguesa autóctones e pelas suas caracteristicas de boas poedeiras e boa carne.










domingo, 1 de março de 2015

Alfaces 2015

Daqui a nada já estão prontas para serem transplantadas as primeiras alfaces do ano.São 3 variedades: maravilha dos mercados,russa e folha de carvalho.