Facebook

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Televisao Digital Terrestre

Viver em Baião - PORTO Caros amigos, além de pagarmos uma internet cara e sem velocidade, em 2000 já tinha "fibra" em Lisboa, aqui só da outra. Vejam o que nos vai acontecer para podermos ver Televisão a partir de 26 de Abril de 2012. Fiquei a saber que a Vila de Baião se encontra em "Zona de probabilidade reduzida de cobertura TDT", significando isto que os moradores da Vila de Baião tem de passar para a "Solução TDT complementar (DTH)" com um custo no Kit TDT complementar de 77,00€ (habitações que não tenham Televisão paga) por televisor e mais 96,00€ por televisor adicional (máximo de três por habitação), valores estes referentes a auto-instalação, caso seja necessário um técnico para o efeito, o valor por cada Kit será mais 61,00€. Temos que nos unir e começar a agir, pois pagamos impostos como os Lisboetas, mas somos cidadãos de segunda ... ou terceira ... ou sei lá!

sábado, 12 de novembro de 2011

Salsa

Apesar de ter uma banheira velha cheia de salsa que se vai renovando automaticamente(espiga e as sementes caiem na terra e vai nascendo sempre salsa nova) vou aproveitar algumas sementes para guardar....

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Nasceram Coelhos

Nasceram hoje 5 coelhos ,um "parto" não muito normal pois a coelha  , não só não preparou o ninho convenientemente como os deixou espalhados pela maternidade.
Colocamo-los nuns pedaços de algodão para ficarem mais confortáveis e quentes .Estou com algum receio que a mãe os rejeite e possam morrer .....vamos la ver!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Colher Sementes(Pimentos Bravos,Padron e Malaguetas)

Colher sementes das suas próprias culturas é um habito cada vez mais em desuso nos tempos que correm.
Muito tem contribuído a proliferação de pontos de venda e casas de sementes um pouco por todo o lado.
Na sua esmagadora maioria ,estas sementes de pacote vem de multi nacionais estrangeiras, ou seja são sementes de produtos globalizadas e não aquelas primitivas ,que por força das características das nossas regiões(microclima,solos,etc) permitiam uma variedade de plantas, dentro do mesmo tipo de planta.
Como tal comecei este ano a colectar sementes,nomeadamente de produtos que não vieram das tais sementes,mas sim de pessoas que já tinham feito esta colecta.Após uma boa produção resolvi então colher algumas dessas sementes.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Alerta B.V de Baião

Face a condições meteorológicas adversas, a Direcção-Geral da Saúde (DGS) reforça as recomendações para a população em geral, para que se tomem medidas de protecção, tais como:


• Use calçado adequado que evite o risco de queda. Evite molhar os pés e, consequentemente, o seu arrefecimento.

• Na condução, tenha em atenção o estado do piso molhado e escorregadio por forma a evitar acidentes.

• Mantenha o vestuário seco.

• Apesar da chuva, tenha em atenção que o interior da sua habitação deve estar bem ventilado, sobretudo quem utiliza aparelhos de queima. Cuidado com o monóxido de carbono.

• Tenha cuidado com as infiltrações e humidades, as quais favorecem o desenvolvimento de microrganismos (bolores, fungos, leveduras e ácaros) que podem originar alergias e infecções respiratórias.

• Após as chuvas providencie a eliminação de acumulações de água com detritos orgânicos.

Tenha redobrada atenção com os idosos, as crianças e doentes crónicos (grupos estes mais vulneráveis às variações meteorológicas). Mantenha-se atento aos avisos das Autoridades de Saúde, do Instituto de Meteorologia e da Autoridade Nacional de Proteção Civil.


EM CASO DE EMERGÊNCIA, LIGUE

255 541 231 (B.V. Baião)

ou

112.

A lenda do Moleiro do Rio Ovil...

Foi uma vez certo moleiro nadar no rio Ovil, num poço entre as penedias, ali para baixo do lugar do Giraldo.
 Quando quis sair da água, alguma coisa o puxou por entre os penedos, e onde havia ele de ir dar?... Ao palácio uma moira encantada!
 O palácio era coisa de maravilha: oiro, prata, brilhantes, riquezas sem conta, mas não viu a moira. Esteve lá de um dia até ao outro sem ter sono, nem fome, nem sede: queria ir para casa e não podia, até que se lembrou de rezar o Padre-nosso às avessas, o que é bom para quebrar o encanto, e pôde então sair.
 Quando veio para fora do rio, os vizinhos e amigos procuravam-no e, vendo-o vivo, não queriam acreditar. Disse-lhes ele o que lhe tinha acontecido e os outros foram às escondidas, de noite, com o luar, fazer uma cale para esvasiar o poço, mas não encontraram a entrada do palácio. Vieram dizer ao moleiro que mentia, que não havia entre os penedos palácio nenhum.

Baião


Baião é uma vila portuguesa no Distrito do Porto, região Norte e sub-região Tâmega, com cerca de 2.800 habitantes.
É sede de um município com 175,71 km² de área e 21.152 habitantes (2006), subdividido em 20 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Amarante, a leste pelo Peso da Régua e por Mesão Frio, a sul por Resende e Cinfães e a oeste pelo Marco de Canaveses.
Na passagem da Alta para a Baixa Idade Média, dá-se a formação da Terra de Baião, que era dominada por um castelo: o Castelo de Matos, antigo Castelo de Penalva. A Terra de Baião é a origem da família nobre dos Baiões, descendentes de D. Arnaldo (trisavô de Egas Moniz, aio de D. Afonso Henriques), um guerreiro que veio combater os Mouros na península Ibérica, por volta de 985. As terras de Baião foram-lhe concedidas como prémio pela sua bravura, pelo rei de Castela. Alguns historiadores pensam que D. Arnaldo seria um guerreiro alemão que perdeu o seu ducado numa guerra; outros, que seria um cavaleiro de Bayonne, filho de um rei de Itália e neto de um rei de França, e que seria essa a origem do nome de Baião.
Mais tarde, D. João I deu as terras de Baião a um parente do Condestável, D. Nuno Álvares Pereira. Tendo voltado à Coroa no tempo de D. João II. Baião recebeu foral de D. Manuel I, em 1513.

Calda Bordalesa

A calda bordalesa (ou bordelesa) é a mais famosa das caldas cúpricas. Se não fosse a acção cáustica que o sulfato de cobre exerce sobre as plantas e a facilidade com que é lavado pela água das chuvas, bastaria derretê-lo em água e pulverizar. Torna-se necessário adicionar cal para contornar estes inconvenientes e obter um preparado com suficiente poder destruidor sobre os parasitas, razoável duração do seu efeito protector e nenhuma acção prejudicial às plantas. A calda bordalesa é admitida na horticultura biológica, sendo talvez um dos meios mais eficazes de combate às pestes.

Fórmula da calda bordalesa a 0,5%

  • 500 gramas de sulfato de cobre
  • 500 gramas de cal
  • 100 litros de água

Preparação

Numa barrica ou outra vasilha apropriada — nunca de zinco ou de ferro — dissolve-se o sulfato de cobre em aproximadamente 80 litros de água.
Para facilitar, pode-se dissolver o sulfato noutra vasilha com água quente, ou deixar de véspera triturado num saquinho de sarapilheira, suspenso de forma a ficar pendurado logo abaixo da superfície da água.
Numa outra vasilha coloca-se a cal em pedra e parte-se até ficar bem desfeita. Em seguida vai-se adicionando água, tendo o cuidado de não exceder os 20 litros que faltam na vasilha principal, mexendo sempre até se obter um leite de cal de consistência conveniente.
Mistura-se o leite de cal, pouco a pouco, na solução de sulfato de cobre, tendo o cuidado de utilizar um coador para evitar partículas que possam entupir o pulverizador. Uma meia de senhora de nylon costuma surtir bom efeito.
Se for necessário, acrescenta-se água até perfazer os 100 litros.
Nota: Hoje em dia existem saquetas pré-preparadas, mas é necessário confirmar se estamos a comprar calda bordalesa ou algo chamado genericamente “sulfato”, com outra composição química.
Para evitar queima das folhas das plantas, caso a calda esteja ácida, deve-se fazer um teste com um canivete ou faca de ferro, pingando sobre a lâmina uma gota da calda. Se após três minutos, no local da gota se formar uma mancha avermelhada, é sinal de que a calda está ácida. Deve-se então adicionar mais leite de cal, até que a mistura fique neutra.

Importante: Este produto é de fácil preparo e baixa toxicidade, porém deve ser aplicado com os mesmos cuidados que os produtos químicos.

Bibliografia:
Economizai o Sulfato de Cobre nas Caldas Cúpricas. Lisboa: Texto da repartição de serviços fitopatológicos, 1942.

Pulverizador Manual 16L

Mais uma aquisição de ferramentas para o amanho e tratamento do campo:

Um pulverizador Manual de 16Litros .
De imediato para aplicar Calda Bordalesa  no Limoeiro,Laranjeira e Tangerineira. Depois para sulfatar na altura própria as Vinhas.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

A secção de pedestrianismo da Associação Amigos do Rio Ovelha, em parceria com os Restauradores da Granja, encerra mais um ano de actividades no próximo dia 06 de Novembro, com um passeio pedestre pela Rota do Abrigo de Montanha da Venda da Giesta – Serra da Aboboreira.


O programa tem concentração prevista para as 09h00, no Abrigo de Montanha da Venda da Giesta – Serra da Aboboreira (GPS N 41º 11.013' W 008º 04.855'). A caminhada tem início às 09h30 até às 12h30. Segue-se o almoço às 13h00 e um magusto às 15h00.

O tipo de percurso é circular, de pequena rota, de âmbito paisagístico e desportivo. A distância a percorrer é de cerca de 8km, com grau de dificuldade médio.  

A taxa de inscrição é de 3euros (sócios AARO/Restauradores da Granja) ou 5euros (não sócios). É gratuita até aos 12 anos (inclusive).

As inscrições podem ser feitas até dia 5 de Novembro, indicando para o efeito: nome, data de nascimento, local de residência e contacto.
Contactos para inscrições/informações:

Telf: 918 608 499 / 919 420 886 / 962 631 337 (AARO)

963 215 968 (Restauradores da Granja)

Fonte: Jornal "A Verdade"